Valeu o soberbo golo de Lionel Messi ao Barcelona, já nos 90 minutos, para poder sair do El Madrigal, ambiente sempre fervoroso e escaldante, com um ponto. Luis Enrique optou por colocar André Gomes na equipa titular dos catalães, quando se fala de uma possível transferência de Iván Rakitic para Inglaterra.

A primeira oportunidade do jogo foi mesmo da equipa da casa. Logo aos 9 minutos, Jaume Costa cruzou para Jonathan dos Santos, que falhou clamorosamente, atirando por cima da baliza de Marc-André ter Stegen. Estava dado o primeiro aviso na partida. No entanto, durante o resto da primeira parte as únicas ocasiões dignas de registo pertenceram ao Barcelona. Aos 24 minutos, um excelente remate de Neymar, de fora da área, passou muito perto da baliza de Sergio Asenjo. Perto do intervalo, Messi, de cabeça, obrigou o guardião a esticar-se para uma grande defesa.

A segunda parte começou imediatamente com o golo do Villarreal. Num contra-ataque muito rápido, Pato conduziu a bola durante muitos metros para, à entrada da área, a entregar a Nicolas Sansone, que atirou, de primeira, para o fundo das redes. Grande euforia no estádio, com os visitados a adiantarem-se no marcador.

A reacção do Barcelona ao golo adversário não demorou. Na sequência de um livre curto de Messi, Neymar flectiu para o meio e rematou rasteiro para defesa fácil, mas atenta, de Asenjo. Foi dos 70 aos 75 minutos que se deram as polémicas do jogo. Primeiro, são os catalães que ficam a reclamar uma grande penalidade. Neymar cruzou rasteiro, encontrando Messi na zona da meia-lua. No momento do remate, o capitão do Villarreal, Bruno, caído no chão, estica o braço para o caminho da bola, desviando-a para pontapé de canto. Após esse canto, Messi atirou ao poste. Mais uma excelente oportunidade para o Barcelona, novamente desperdiçada. De seguida, foi o Villarreal a pedir penalty. No momento do remate de Roberto Soriano, a bola embate claramente no braço de Javier Mascherano. A jogada prosseguiu, com muito perigo para o Barcelona e mais uma boa intervenção do guarda-redes do Villarreal. Em ambos os casos, justificava-se a marcação de grande penalidade.

Aos 90 minutos, o momento do jogo. Livre directo na zona frontal do campo, a poucos metros do limite da grande área. Messi (quem mais poderia ser?) marcou o livre de forma extraordinária, com o esférico a entrar “na gaveta”, sem hipóteses para o guardião adversário. Golo sensacional do argentino, que permitiu, assim, o empate no marcador.

No último minuto de compensação, Jaume Costa foi ainda expulso por acumulação de amarelos. Com este empate a uma bola, Barcelona distancia-se cada vez mais do Real Madrid e vê-se ultrapassado pelo Sevilha. Está a 5 pontos da liderança, com 35 pontos, mas a diferença pode ainda ser mais dilatada, uma vez que o Real Madrid tem menos um jogo disputado. Já o Villarreal foi ultrapassado pelo Atlético de Madrid e está agora na quinta posição, com 30 pontos.

Advertisements