Na 1ª mão do play-off de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, o Sporting não foi além de um empate sem golos e deixa tudo em aberto para o jogo em solo romeno. Tal como no jogo frente ao Vitória de Setúbal, a equipa comandada por Jorge Jesus voltou a mostrar uma boa segurança defensiva, mas, por outro lado, evidentes dificuldades em conseguir jogo interior e em superiorizar-se em zona frontal.

Nos primeiros 45 minutos, o Steaua Bucareste raramente conseguiu sair para o ataque, muito por mérito do Sporting, que voltou a ser exímio na transição defensiva e respetiva rápida reação à perda da bola. Contudo, apesar de a equipa romena se encontrar encostada às cordas e da notória superioridade na percentagem de posse de bola por parte dos leões, o Sporting esteve longe de criar (novamente) uma avalanche ofensiva que permitisse oportunidades iminentes de furar as redes da formação de Bucareste. Dado que a exceção confirma a regra, apenas aos 23 minutos, a formação leonina, através de Marcos Acuña, conseguiu a ocasião mais flagrante deste período. Acuña surgiu solto do lado esquerdo com um passe de Podence e rematou cruzado, com a bola a bater no poste contrário antes de sair pela linha de fundo. Outra exceção, desta vez do lado adversário, foi quando Alibec, aos 28 minutos, rematou para boa defesa de Rui Patrício.

Durante grande parte do tempo, a segunda metade da partida em nada foi diferente da primeira. Sem William, o Sporting apresentava um maior défice de qualidade na fase inicial da construção do seu jogo. Adrien ainda não atingiu a forma e nível a que habituou os adeptos do futebol. Face a este cenário, Podence via-se obrigado a baixar muito no terreno para vir buscar jogo, mas sem grandes efeitos práticos. Os sempre irreverentes Gelson e Acuña apostavam muito nos lances individuais um contra um e em cruzamentos para a área que a sólida defesa adversária cortava. Os laterais Piccini e Coentrão, por sua vez, não se encontravam inspirados no capítulo ofensivo.

A equipa de Dica cresceu na segunda parte e esteve mais perto do golo, jogando com o nervosismo da equipa de Jesus. Aos 78 minutos, Gabriel Enache teve oportunidade de ouro para bater Rui Patrício, após receber passe a rasgar de Alibec, só que não conseguiu finalizar na cara do guardião leonino. A oportunidade mais clara de todo o jogo até acabou por pertence ao Steaua Bucareste.

As entradas de Doumbia e Bruno Fernandes, que coincidiram com a expulsão de Pintilli, à passagem do minuto 80, ainda deu esperança para um último assalto à baliza à guarda de Florin Nita. Quando o discernimento era cada vez menor e o “jogar com o coração” cada vez maior, Florin Nita salvou a equipa romena da derrota com duas excelentes intervenções.

Com este resultado, fica tudo em aberto para o jogo da próxima quarta-feira em Bucareste. É obrigatório desatar o nó e marcar golos fora de portas. O nulo registado está longe de comprometer os milhões da Champions para o Sporting Clube de Portugal.

Anúncios